Restaurante Miako – Botafogo

Fachada do restaurante japonês Miako, na divisa entre os bairros de Botafogo e Flamengo.

Fachada do restaurante japonês Miako, na divisa entre os bairros de Botafogo e Flamengo.

Na hora do almoço, durante um dia da semana, escapei do trabalho para consertar um micro-ondas na Zona Sul e aproveitei para revisitar um clássico restaurante japonês no Flamengo, na divisiória com o bairro de Botafogo. Trata-se do restaurante Miako. E quando digo clássico, é porque além de não oferecer rodízio, ele é administrado por uma família de japoneses, com muitos deles, inclusive, trabalhando no atendimento. O papel que cobre a mesa informa que o restaurante existe desde 1972. Tradição japonesa é o que não falta.

Desde 1972 servindo a culinária japonesa no Rio de Janeiro. Deve ser bom, não?

Desde 1972 servindo a culinária japonesa no Rio de Janeiro. Deve ser bom, não?

Entrada do restaurante Miako. Sem querer, fotografei a Zezé Polessa, que estava lá com a Débora Falabella e mais uma amiga. Globais no Miako, é mole?

Entrada do restaurante Miako. Sem querer, fotografei a Zezé Polessa, que estava lá com a Débora Falabella e mais uma amiga. Globais no Miako, é mole?

Quando decidi almoçar lá, já estava preparado para comer um pouco menos do que estamos acostumados em rodízio, pois sabia da ausência dessa opção no restaurante. No entanto, me surpreendi com o Miako Japan Fest. Acho que o estabelecimento criou essa opção para se tornar mais competitivo em relação à vizinhança, já que os restaurante Mizu e Via farani oferecem boas opções de rodízio. Acho que a proposta está funcionando. O restaurante estava cheio e eu saí um bocado satisfeito de lá.

Não tem rodízio, mas tem o Japan fest. Não é a mesma coisa, mas compensa.

Não tem rodízio, mas tem o Japan fest. Não é a mesma coisa, mas compensa.

O Miaku Japan Fest oferece mais de 40 opções de pratos japoneses, chineses e até tailandeses, e você pode escolher cinco opções que vêm em pequenas proções, por vezes nem tão pequenas assim. Ainda ganha um sobremesa simbólica de saída. Tudo isso por R$ 38,00. Um precinho um pouco abaixo do rodízio, mas que justifica a quantidade de comida que vai se desenhando.

Porção de shiitake - uma das opções do Japan Fest.

Porção de shiitake - uma das opções do Japan Fest.

Pequena e saudável porção de Nirá. Ao lado, recheada cambuca de Bifun (macarrão de arroz com legumes).

Pequena e saudável porção de Nirá. Ao lado, recheada cambuca de Bifun (macarrão de arroz com legumes).

Preocupado com a possibilidade de comer pouco, selecionei estratégicamente cinco opções que mesclassem uma boa dose de carboidratos, mas também que englobasse algo clássico da cosinha japonesa. As minhas opções foram Shiitake, Nirá, Sushi de Camarão (não podia, eu tive que substituir por Salmão), Bifum (macarrão de arroz com legumes) e um prato tailandês chamado Nua Padnam Man Roi (filé ao molho de ostras com alho).

Nua Padnam Man Roi: filé ao molho de ostras com alho. destaque do Japan Fest.

Nua Padnam Man Roi: filé ao molho de ostras com alho. destaque do Japan Fest.

Sensacional a qualidade do Sashimi de Salmão. Tão bom que eu nem fiquei chateado pelo fato de não ter os de camarão como eu havia pedido.

Sensacional a qualidade do Sashimi de Salmão. Tão bom que eu nem fiquei chateado pelo fato de não ter os de camarão como eu havia pedido.

Incrivelmente senti uma grande diferença na textura e confecção do sushi. Confesso que tenho pouquísima frescura ou percepção de variação nessas peças, mas esta eu achei sensacional. A consistência do arroz todo juntinho, o peixe fresco, o sabor da gordura do salmão, enfim…  Estou curioso para visitar o local novamente e desfrutar de uma farta porções de sushi para ver se me mantenho impressionado. O Shiitake e o Nirá estavam dentro do padrão. O Bifum vem em excelente quantidade, pelando e com bastante legumes. Ganha um sabor extra se derramarmos um pouquinho de molho shoyo nele. O prato tailandês também se destacou pelo molho intenso e pela quantidade. Houve uma troca no pedido, porque eu havia pedido com carne, mas veio com frango. Confesso que também estava delicioso.

Apesar de menos “olho grande” do que eu, minha mulher fez opções iguais as minhas, como o Bifum e o Nirá. Ela também havia pedido o Sushi de camarão, mas como não havia essa opção, ela o substitui por uma porção de Salmão Skin. De diferente, ela investiu no Shimeji, para complementar meu Shiitake, e também  investiu num prato de carne, que foi o Shougayaki (filé ao molho de gengibre). No caso dela, o filé veio conforme o pedido, de carne. Mas o molho de gengibre, apesar de gostoso e diferente, a uma certa altura do prato começa a enjoar. Os destaques ficaram também por conta da qualidade do Sushi e por conta da quantidade do Bifum. Valeu o Miako Japan Fest!

Porção de Shiimeji pedida pela minha mulher, complementar à minha porção de Shiitake.

Porção de Shiimeji pedida pela minha mulher, complementar à minha porção de Shiitake.

Como não tinha Sushi de Camarão, minha mulher também trocou. Só que por uma porção de Salmão Skin.

Como não tinha Sushi de Camarão, minha mulher também trocou. Só que por uma porção de Salmão Skin.

Como ainda tínhamos direito a uma sobremesa, não nos fizemos de rogado. Tudo bem, tenho que admitir que essa de oferecer sobremesa é uma atitude simbólica do restaurante. As opções do dia eram mamão fatiado ou harumaki de banana e canela. Mamão fatiado de sobremesa? Por motivos óbvios, escolhemos o segundo. Dá uma olhada no tamanho do harumaki. Parecia um bombom. Parece que pegaram um único harumaki e dividiram em dois. Uma metade pra mim e outra pra minha mulher. Como já estava satisfeito, não fiquei menos feliz por conta da escassez da sobremesa. Sai satisfeitíssimo!

Rá-Rá! Se eu não estivesse tão satisfeito com a comida, teria achado essa sobremesa de cortesia uma grande piada. Um harumaki pela metade?

Rá-Rá! Se eu não estivesse tão satisfeito com a comida, teria achado essa sobremesa de cortesia uma grande piada. Um harumaki pela metade?



RESUMO DO ALMOÇO:

O Miako é um excelente restaurante japonês, clássico, que não oferece rodízio, mas oferece uma opção similar que é o Miako Japan Fest. Neste festival de 40 opções disponíveis, você pode escolher 5. Acredito que seja administrado por nisseis ou sanseis, descendentes de imigrantes japoneses. O ambiente é um mosaico de referências de tudo quanto é tipo à cultura japonesa. Dessa vez que fui, o atendimento ficou devendo um pouquinho. Estava cheio de executivos (ele fica ao lado da FGV), meu prato veio trocado (mas estava uma delícia), faltava guardanapo na mesa e inicialmente fiquei sem talher para comer. No caso, sem os hashis. No final, não comprometeu a experiência. Não paguei barato, mas comi bem, com qualidade e atendimento mediano.


Conhece esse japa superclássico de Botafogo? O que acha dele? COMENTE ESSE POST e contribua com sua opinião.


Restaurante Miako

Rua Farani, 20
Botafogo – Rio de Janeiro – RJ
Tel: (21) 2552-7847 | 2554-8290
Sem site (acredita?)


Exibir mapa ampliado

Tags: , , , , , ,

6 Responses to “Restaurante Miako – Botafogo”

  1. February 14, 2012 at 7:13 pm #

    oi!
    sou descendente de japas e sou suspeita para falar que ADORO o miako! e sugiro que da próxima vez que vc for, escolha algum teishoku, um tipo de executivo japonês, sempre que vou lá, como um; o preferido é o de tonkatsu (milanesa de lombo de porco). parece pouco e simples, mas é bem servido e bem diferente de uma milanesa comum… ;-)

  2. February 15, 2012 at 1:22 am #

    Olá, Harumi!

    Obrigado pela colaboração. Vamos dar peso 2 a sua mensagem, por considerarmos que descendentes tenham conhecimento da causa, ok? =) Faz tempo que não pinto por lá e, quando voltar, tentarei não me esquecer de sua recomendação, viu?

    Volte sempre.

    grande abraço,
    Leonardo

  3. July 13, 2012 at 8:58 pm #

    Já ouvi falar MUITO bem desse restaurante! No meu blog alguns leitores falam que é o melhor do mundo. Nunca lembro desse, o Mizu e o Via Farani acabam roubando minha atenção! rsrsrs

  4. July 14, 2012 at 3:04 am #

    É aquele negócio… Não tem rodízio e o ambiente é tradicionalíssimo. No custo x benefício perde pro Via Farani fácil. Mas é excelente e tem algumas coisas fora do cardápio convencional dos japas menos roots.

    Obrigado pelo comentário, viu?

    grande abraço,
    Leonardo Spinardi

  5. Carolyn
    July 12, 2013 at 2:40 am #

    O Mizu dá de 10×0. Experimente da próxima vez. Além do japonês, ainda tem o menu mexicano que é uma delícia….

  6. July 12, 2013 at 3:27 pm #

    Oi, Carolyn!

    Obrigado pelo seu comentário e pela visita. Mas vou discordar de você. O Mizu pode ter um preço bom, você podecomer mais por menos e ainda comer mexicano. Mas ele NUNCA SERÁ melhor que o Miako. Pode ser que você tenha tido uma experiência ruim lá alguma vez ou não se encaixe num perfil à la carte – e é difícil mesmo abrir mão do rodízio – mas a qualidade do japonês do Miakoé muito superior a do Mizu. Além disso, o mexicano do Mizu é muito fraco, extremamente pesado, mal montado, enfim. Nem parece que estamos falando dos mesmos restaurantes.

    Ainda assim, sua opinião e sua participação é bem-vinda aqui. O espaço é seu. =D

    um abraço,
    Leonardo Spinardi

Leave a Reply