Restaurante Salete – Tijuca

Fachada do Restaurante Salete, na Tijuca.

Fachada do Restaurante Salete, na Tijuca.

Semana passada estive no Restaurante Salete, na Tijuca, com um grupo de amigos na hora do almoço, para confirmar se a boa fama do Risoto de Camarão continua vigente. Chegamos por volta de 12h20 e nos sentamos no segundo andar, uma espécie de mezanino, com ar-condicionado e vista para todo o resto do restaurante através de um janelão de vidro. O restaurante conta com um primeiro andar que, se não me engano, só tem ventiladores, com azuleijos nas paredes e algumas mesinhas no estilo boteco, que ficam do lado de fora.

Empadinhas de frango (R$2,00) e de Camarão (R$2,50). A pimentinha cheirosa não pode faltar.

Empadinhas de frango (R$2,00) e de Camarão (R$2,50). A pimentinha cheirosa não pode faltar.

Fomos recebidos por um garçom atencioso que em nenhum momento nos esqueceu no segundo andar, visto que éramos os únicos em uma mesa lá em cima. De entrada, pedimos uma rodada das também famosas empadinhas. Tão famosas que eles as colocam, inclusive, na vitrine da entrada do restaurante, para fazer propaganda de um dos seus pontos fortes. Foram 04 empadinhas, sendo 02 de frango (R$2,00) e duas de camarão (R$2,50). Estavam, quentinhas e chegaram bem rápido. Na velocidade suficiente para nos distrair enquanto aguardávamos nosso prato. Afinal, para que servem as entradas senão para enganar nossa fome antes do prato principal chegar?

Clássico Risoto de Camarão da Salete - R$ 33,00

Clássico Risoto de Camarão da Salete - R$ 33,00

Dividi um Risoto de Camarão para duas pessoas (R$33,00) com um amigo meu e não nos decepcionamos em relação ao sabor. A porção poderia ser um pouquinho mais bem servida. Comemos um prato normal e não tivemos a oportunidade de repeti-lo. Tudo bem que a quantidade talvez corresponda ao preço que saiu para cada um. Fiquei com um gostinho de quero mais. Meus outros dois amigos dividiram o não menos famoso Filet Acebolado com Arroz e Batata Frita. Já conheciam o prato e sempre falaram bem. Provei apenas o restinho do molho acebolado. O prato é bonito, como vocês podem ver abaixo, e é o próximo que está na minha lista pra experimentar.

Filé acebolado com arroz e batata frita - R$ XX,XX

Filé acebolado com arroz e batata frita



RESUMO DO ALMOÇO

Tinha um pouco de implicância com o Restaurante Salete porque me recordava de ter ido há tempos atrás, e ter pagado muito caro para comer pouco e passar calor. Não foi o que aconteceu desta vez. Não estava cheio, o atendimento foi muito cuidadoso e o segundo andar estava bem climatizado. Não posso dizer que há fartura de comida no prato que pedi, mas também não deixa a desejar. O sabor é muito bom., o ambiente é informal e o preço é justo. Do jeito que a gente gosta.


Curte a Salete e sua famosa empadinha? O que mais é gostoso lá? COMENTE ESSE POST e deixe registrada sua opinião.


Restaurante Salete

Rua Afonso Pena, 189
Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
Tel: (21) 2264-5163


Exibir mapa ampliado

Tags: , , ,

13 Responses to “Restaurante Salete – Tijuca”

  1. Silvia Braga Perez
    February 7, 2010 at 5:35 pm #

    Sr. Leo, o prato acima descrito, risoto de camarão, pelo valor, foi o que é servido para uma pessoa, o para duas pessoas custa um pouco mais mais serve muito bem!
    Teremos o enorme prazer em recebê-lo para que deguste e comprove como o maior serve muito bem. Aproveitamos para informá-lo que em breve estaremos com ar condicionado no salão de baixo também, para melhor servir nossos clientes.

  2. February 9, 2010 at 7:20 pm #

    Sílvia, vou retornar sim, até porque trabalho por perto e costumamos visitar bastantes restaurantes diferentes. Mas o valor de um Risosto de Camarão para uma pessoa custar R$33,00 eu acho meio caro, não? Tenho quase certeza de que o prato que comemos era um referente a duas pessoas. Enfim, em breve a gente aparece pela área para fazer mais uma resenha, tudo bem? Obrigado pelo contato e fique à vontade!

  3. gloria soussinr
    November 18, 2011 at 4:17 pm #

    Há alguns anos não ía ao Salete porque antigamente era a família completa. O dono ainda estava vivo. Quando meu pai faleceu me afastei. Recentemente retornei de viagem e, com saudades da empada, estive no Salete com meu filho.
    Resolvemos almoçar. O garçom Ailton foi formidável. Atencioso, rápido e simpático.
    Tive problema com o gerente Carlos, visto que a comida vei fria e com um pedaço da carne faltando, a farofa com gosto ruim. Pedi a presença do gerente ao qual não deu atenção imediata já que estava contando alguma piada para os funcionários da cozinha. Quando resolveu vir foi grosseiro e mal educado. Fiquei decepcionada com o pouco caso da parte dele, que para completar pediu que o segurança ficasse na portaq, talvez achando que não fosse pagar a conta.
    Posteriormente passei para conversar pessoalmente com a Sílvia ou Cátia, uma não estava e a outra agiu da mesma forma que o gerente, ou seja, não teve a delicadeza de procurar saber o que eu tinha a dizer.

  4. November 18, 2011 at 6:14 pm #

    Oi, Gloria!

    o espaço para sua opinião está dado!

    Nem posso mais opinar sobre o Salete porque, apesar de trabalhar próximo ao restaurante, simplesmente não frequento (nem eu nem meus amigos) mais o lugar. Caro e com porções cada vez menores. Agravado por relatos de atendimento como este que você teve, então… Parece que eles precisam rever alguns conceitos, né?

    Obrigado pela colaboração.

    abraço,
    Leonardo Spinardi

  5. December 8, 2011 at 3:47 pm #

    Boa tarde caros amigos e clientes.

    Respondendo as opiniões apresentadas neste site, venho esclarecer:

    Quanto as porções, elas continuam as mesmas há 54 anos, algumas inclusive aumentamos como por ex o Risoto de camarão era com 300gr passou para 400gr e nossos filé mignon são todos com 400gr e todos são devidamente porcionados, pesados e embalados previamente.

    Quanto aos preços, realmente sofreram reajustes, pois servimos mercadorias de alta qualidade e frescas, o que mantem nossa fama e tradição, nosso lema é nunca diminuir a qualidade e nem a quantidade. Exceto pelos pratos executivos (1 pessoa), nossos pratos servem duas a três pessoas e portanto com preço bem aceito pelo mercado com serviço semelhante.

    Quanto ao atendimento e atenção aos nossos clientes,deve ter havido algum mal entendido, uma vez que nosso atendimento é tido como familiar, presamos por cada um e teremos o enorme prazer em recebê-los e recuperar a mesma confiança que temos de todos os nossos clientes.

  6. December 8, 2011 at 4:40 pm #

    Oi, Silvia!

    Bacana o seu acompanhamento aqui. Só essa manifestação já reforça a preocupação que vocês dizem ter com a imagem e o atendimento. Acredito que eventualidades aconteçam a as experiências retratadas aqui possam estar numa minoria. Mas isso não quer dizer que não aconteceram. É a percepção do público em estado bruto. Dia desses voltarei a visitar o restaurante para colhe rnova impressão e compartilho aqui, ok?

    Obrigado pela resposta e pela participação.

    abraço,
    Leonardo Spinardi

  7. Marcelo Ribeiro
    December 25, 2011 at 4:09 am #

    Era frequentador constante do Salete quando era criança/adolescente na década de 80 e 90. Ia sempre almoçar ou jantar com o meu pai, quando íamos ao maracanã. O Salete, apesar de ser um ambiente familiar, era um local velho, sujo, com as toalhas da mesa deplástico todas engorduradas, um balcão que servia bebida para quem estava em pé, tipo botequim, que tinha sempre um bando de bêbados. Aquilo sim é que era ambiente maravilhoso e a comida, um sonho. Pedia sempre o tal Filé a Salete, feito com presunto picado, batata nozette, que vinha banhado num molho e era fantástico.

    Agora que vocês reformaram tudo, vejo um monte de pessoas reclamando. Parece que quebraram a mágica do local com tanta limpeza e reformas. A sujeira do ambiente e os bêbados na porta, davam um toque fantástico ao gosto da comida.

  8. December 26, 2011 at 1:41 am #

    Oi, Marcelo. Obrigado pela colaboração. Por mais que o pessoal da Salete não concorde, o público esta percebendo alguma diferença. E pra pior. Pode ter sido um dia infeliz pra cada um. Mas se esta acontecendo, existe oportunidade de melhoria.

    Um abraço,
    Leonardo Spinardi

  9. Claudete
    November 26, 2012 at 10:58 am #

    Fui ao Salete uma única vez, levada pelo meu marido e um casal de amigos. Fiquei maravilhada com o que vi. Um barzinho de antigamente com sua mobilia que remete a décadas passadas, com a magia do Rio antigo.
    Comi a empada maravilhosa e jamais esqueci o lugar.
    Isso já conta muitos anos. Mais na lembrança parece que foi ontem.
    Estou programando voltar se Deus assim permitir, pois coisas boas a gente não esquece nunca.
    Tenho a certeza que apesar da modernidade, o Salete continua com a mesma essência.

  10. November 26, 2012 at 11:55 am #

    Beleza, Claudete!

    Acho até que a qualidade se manteve. Mas parece que os preços andaram subindo um pouquinho. Mas também faz tempo que não vou lá e não posso falar com certeza. O Risoto de camarão e o Bife Acebolado são dois dos pratos mais pedidos.

    Pinte por lá e volte aqui pra nos contar, ok?

    um abraço,
    Leonardo Spinardi

  11. Wagner Souza
    April 6, 2013 at 4:51 pm #

    O segredo do sucesso eu não sei. Mas o segredo do fracasso é tentar agradar a todo mundo!

    Talvez esse seja o fato de alguns donos de restaurante self service e churrascaria rodízio, andarem reclamando tanto….

    Alguns conceitos comerciais não agradam:

    1. ao consumidor já que comprometem a qualidade, o preço e a criatividade da gastronomia,

    2. aos empreendedores que não vêem o retorno do capital investido,

    3. aos funcionários que não tem oportunidade de receber novos treinamentos que aprimorem suas práticas e conhecimentos, além de melhores salários.

    4 e finalmente a toda sociedade, já que desperdício de comida através do descarte de sobras é algo inadimissível nos dias de hoje.

    Parabéns ao Restaurante Salete pelos seus mais de 55 anos de trabalho e compromisso com a clientela.

    Parabéns por terem reinvestido, renovado e reinventado o que deve ter sido um bar de intelectuais na sua crianção, se tornou um botequim para bêbados devido a expansão da cidade e migração do pólo de negócios do bairro e hoje ter se tornado ponto turístico de interesse natural para o resgate da história da cidade.

    Precisamos reconhecer e valorizar o investimento de renovação como uma participação ativa e unilateral do comerciante. Vale ressaltar que ele não foi cobrado pelo poder público e com certeza não recebeu nenhum incetivo fiscal (IPTU) para fazê-lo.

    Admirável saber que o sonho que alguém começou a mais de 50 anos, continua sendo o sonho de alguém comprometido com sua comunidade, fornecedores e funcionários até os dias de hoje e sem dar sinal de que pretendem parar em breve.

    Prometo passar por aí para me restaurar de física e espiritualmente.

    Sucesso.

    Wagner Souza

  12. April 6, 2013 at 6:30 pm #

    Oi, Vagner,

    obrigado pelo depoimento e declaração. Você fala com algum conhecimento de causa. Parece conhecer o restaurante há algum tempo, ter alguma intimidade com o dono ou os gerentes. Legal passar um pouco dessa sua visão pra gente.

    Faz tempo que não pinto pela Salete. A última vez que fomos parecia que a porção tinha diminuído e os preços aumentado. Não foi vantajoso e acabou não rolando outra oportunidade.

    De qualquer forma, ter por aqui sua perspectiva da história do restaurante é muito legal.

    um abraço,
    Leonardo Spinardi

Trackbacks/Pingbacks

  1. A superstição das empadas « Na Cara do Gol - June 7, 2010

    […] É o seguinte, eu tenho uma superstição. Nós vamos ao Salete e chegamos lá quase na hora de fechar, mas a tempo de pegar a última fornada. Se ainda tiver […]

Leave a Reply