Restaurante Sawasdee – Leblon

Fachada do restaurante tailandês Sawasdee, no Leblon.

Fachada do restaurante tailandês Sawasdee, no Leblon.

Eu e minha mulher saímos numa sexta-feira para visitar o restaurante de massas Ettore, no Leblon, mas nos decepcionamos ao descobrir que ele fica dentro de uma galeria, em um ambiente pouco convidativo onde, na verdade, as pessoas costumam encomendar as massas ao invés de sentar para comer.

Sem rumo, mas sem querer dar viagem perdida, seguimos caminhando pelas agitadas ruas do Leblon e nos deparamos com um famoso restaurante tailandês que nunca havíamos visitado. Achamos a oportunidade perfeita para saborear um tempero oriental no Sawasdee Bistrô.

Vinho Caligiore Malbec 2008 - W&S 91 (Mendoza, Argentina) - R$ 59,00.

Vinho Caligiore Malbec 2008 - W&S 91 (Mendoza, Argentina) - R$ 59,00.

É bem verdade que o tempo de espera não nos encorajou, mas as opções próximas a ele encontravam-se em situações muito parecidas. A noite do Leblon na sexta-feira é definitivamente animada. Como tivemos uma boa experiência com comida tailandesa no concorrente Nam Thai, do mesmo bairro, resolvemos buscar um comparativo para trazer mais uma interessante resenha sobre essa curiosa gastronomia aqui para o blog.

Após uma espera de quase 40 minutos (sim, nós esperamos!), conseguimos uma mesa confortável no salão interno, colado às janelas, de onde era possível ver as outras mesas que ficam na varanda e as pessoas que passavam na rua.

Como já havíamos perdido muito tempo na fila, fato que só aumentou a nossa fome, sentamos na cadeira já pedindo um vinho e uma entrada. O vinho foi o argentino, de Mendoza, Caligiore Malbec 2008 – W&S 91 (R$ 59,00). A entradinha ficou por conta dos pasteizinhos de shimeji, shitake, nirá e queijo de cabra (R$ 23,00).

Pasteizinhos de shimeji, shitake, nirá e queijo de cabra - R$ 23,00

Pasteizinhos de shimeji, shitake, nirá e queijo de cabra - R$ 23,00

Achei interessante o fato do cardápio do restaurante apresentar uma opção de vinho ou champagne para cada entradinha ou prato, com a intenção de facilitar as combinações. Vimos que o pastel harmonizava com um Sauvignon Blanc, mas como nosso paladar ainda não está tão adestrado assim, insistimos no vinho tinto e posso dizer que não nos arrependemos. Se não harmonizou, tampouco comprometeu.

Já o pastelzinho, que você vê na foto acima um pouco retorcido, decepcionou. Recentemente descobri que não gosto de queijo de cabra. Acho que o queijo de cabra é muito forte, deixa um ranso da cabra – o próprio animal, quero dizer – no queijo e o sabor acabou sobressaindo em relação aos cogumelos. Gostaria de ter experimentado outra entrada como o Ceviche de salmão ao capim limão em harumaki (R$ 18,00), que cheguei a paquerar no cardápio, mas não pedi.

Gai Mamuang - Lâminas de peito de frango ao molho de ostras, castanha de caju, cebola e tomates, acompanhado de macarrão de arroz frito crocante, salpicado de alho torrado e cebolinha verde - R$ 49,00.

Gai Mamuang - Lâminas de peito de frango ao molho de ostras, castanha de caju, cebola e tomates, acompanhado de macarrão de arroz frito crocante, salpicado de alho torrado e cebolinha verde - R$ 49,00.

Na hora dos pratos principais, eu e minha mulher optamos por pedir dois diferentes e experimentarmos um do prato do outro pra conseguir trazer um relato mais completo. Então, escolhemos um de frango e outro de carne.

O de frango foi o Gai Mamuang – Lâminas de peito de frango ao molho de ostras, castanha de caju, cebola e tomates, acompanhado de macarrão de arroz frito crocante, salpicado de alho torrado e cebolinha verde (R$ 49,00). Mistura realmente instigante, mas que parecem ter errado a mão na hora de fazer o prato. Apesar dos ingredientes, ele estava bastante salgado, principalmente o frango, que era regado ao molho de ostras. Talvez tenha sido o molho. Achei o prato fraco, mas devo avisar que um único prato desse serve duas pessoas. Principalmente se estas tiverem comido entrada.

Nua Pad Nanman Hoi - Filet Mignon em fatias refogado ao molho de ostras, com legumes verdes, salpicado de alho torrado e coentro - R$ 55,00.

Nua Pad Nanman Hoi - Filet Mignon em fatias refogado ao molho de ostras, com legumes verdes, salpicado de alho torrado e coentro - R$ 55,00.

Mas nós estávamos realmente com fome e conseguimos, além de encarar o prato de frango, que dá pra 2 pessoas, também o de carne, que serve legal uma dupla. E o prato de carne estava bem melhor que o de frango. A opção pedida foi o Nua Pad Nanman Hoi – Filet Mignon em fatias refogado ao molho de ostras, com legumes verdes, salpicado de alho torrado e coentro (R$ 55,00). A combinação do molho escuro de ostra com a carne foi mais acertada. Achei uma delícia, mas ele ainda fica atrás de um prato semelhante que pedimos no outro tailandês do bairro.

Comemos mais do que deveríamos e quase o que dava para aguentar. Conseguimos reservar um espaço para a sobremesa, é claro. O doce que abençoou nosso paldar foi o Thai Coconut Mango – Sorvete de côco com leque de manga coberto com calda de tangerina, flocos de côco torrado e gergelim (R$ 18,00). Apesar do conceito tailandês, sobremesa bem tropical, estilo brasileira, né não? A experiência no tailandês Sawasdee chegou ao fim, deixando uma boa impressão do restaurante, mas com a nítida certeza de que o concorrente Nam Thai. Compare e volte aqui pra nos dizer.

Thai Coconut Mango - Sorvete de côco com leque de manga coberto com calda de tangerina, flovos de côco torrado e gergelim - R$ 18,00.

Thai Coconut Mango - Sorvete de côco com leque de manga coberto com calda de tangerina, flocos de côco torrado e gergelim - R$ 18,00.



RESUMO DO JANTAR:
Ninguém gosta de esperar e nós o fizemos por quase 40 minutos. É bem verdade que, sentados no banco do lado de fora, já é possível beber algo e pedir uma entrada. Mas você fica desconfortável. Optamos por esperar vagar a mesa. O salão interno é pequeno, mas bem aconchegante. As mesas que ficam na varanda não me parecem tão confortáveis. Quem nos atendeu foi uma mulher e, apesar da grande demanda de clientes no horário, o serviço foi bom. O cardápio oferece bastante variedade de pratos com temática indiana: peixe, carne, frango, massa e vegetariano. Nós comemos um de frango e um de carne. O segundo, com molho de ostras, estava bem melhor que o primeiro, que ficou puxado no sal. Na minha percepção, acho que os pratos podem ser divididos pos 2 pessoas, principalmente se for pedido uma entrada antes para encorpar. São pratos muito bem servidos e, por isso, o preço acaba sendo justo. Se só servissem uma pessoa, eu os teria achado caro para o que são. Foi um bom jantar, mas como tínhamos o parâmetro do Nam Thai, do mesmo bairro, sabíamos que os pratos podiam estar mais saborosos do que os que experimentamos.


Gosta de comida oriental, em especial de restaurante tailandês? E o que você achou do Sawasdee? Ficou com vontade de ir? COMENTE ESSE POST e me diga se você gostou do que experimentou lá, ok?


Restaurante Sawasdee

Rua Dias Ferreira, 571
Leblon – Rio de Janeiro – RJ
Tel: (21) 2511-0057
http://www.sawasdee.com.br


Exibir mapa ampliado

Tags: , , ,

3 Responses to “Restaurante Sawasdee – Leblon”

  1. Vitor
    August 16, 2011 at 7:16 pm #

    Engraçado, Leonardo, veja como a gastronomia é uma coisa subjetiva: eu já acho o Sawasdee muito, mas muito melhor do que o Namthai… Se quiser dar mais uma chance a ele, recomendo o HangWaw(ou algo do gênero), que é um prato de rabada desfiada com purê de inhame e molho de ostras. Acho excelente, nao consigo enjoar desse prato.
    No mais, parabéns pelo blog, que sempre tem resenhas interessantes….

  2. August 16, 2011 at 11:42 pm #

    Pois é, Vitor… Totalmente subjetiva, né? Estamos falando de gostos e de possibilidades. Eu posso simplesmente ter ido em um dia ruim ou não ter feito uma boa escolha no cardápiuo, concorda? Agradeço a sua colaboração e quando eu tiver uma outra oportunidade, experimentarei sim o prato recomendado por você. Daí venho aqui e compartilho dizendo se você tem razão ou não, tudo bem? =)

    De qualquer forma, agradeço pela colaboração e pela forma construtiva com que colocou sua opinião. Show de bola!

    grande abraço,
    Leonardo Spinardi

  3. Vitor
    August 19, 2011 at 4:40 am #

    Hahaha… Boa idéia. Acho que nem a variedade subjetiva de nosso mundo resiste àquela rabada. Depois vc me diz se eu não tenho razão.
    Quanto ao meu outro comentário, agradeço o cumprimento, mas ele nem tinha como ser destrutivo, pq não era uma crítica: só uma opinião alternativa. Seu blog é um barato e já me deu várias sugestões bacanas(como a do Market)

    Abraços

Leave a Reply